28°C 18°C

São Paulo, SP

24°C 15°C

Curitiba, PR

35°C 19°C

Belo Horizonte, MG

34°C 21°C

Rio de Janeiro, RJ

24°C 18°C

Porto Alegre, RS

30°C 23°C

Salvador, BA

Segunda-feira, 02 de Outubro de 2017 - 10h23

7 formas de transformar o trabalho ruim no emprego dos sonhos

Redação Mundo Positivo

Foto: Divulgação

 

Com os índices de desemprego batendo recordes e atingindo os 14 milhões de pessoas no primeiro trimestre, segundo o IBGE, pedir demissão sem um emprego em vista pode não ser a melhor das ideias. Mesmo assim, muitas pessoas ainda se sentem infelizes em seus trabalhos e precisam encontrar mais felicidade no dia a dia que levam.

 

A empresária Lilian Bertin, empreendedora e criadora do movimento “Como Você Consegue”, explica que é possível mudar a forma de lidar com o trabalho para encontrar a felicidade e não depender de mudança. “O que um emprego precisa oferecer para ser bom é a satisfação financeira, a realização pessoal, a realização profissional e o reconhecimento, e todos esses pontos podem ser melhorados apenas com a mudança de perspectiva”, resume.

 

 

Veja, a seguir, sete formas de transformar o trabalho ruim em algo bom:

 

1. Praticar a gratidão

O primeiro passo para ser feliz no trabalho atual, segundo Lilian Bertin, é ser grato pelo que é bom nele. “As pessoas que já começam sendo gratas por terem um trabalho são mais felizes, por isso comece sempre olhando as coisas boas”. Ela explica que, no começo, pode parecer difícil encontrar muitos motivos pelos quais agradecer, mas conforme essa prática é realizadaaos poucos as pessoas encontram mais e mais razões.


2. Encontrar felicidade em pequenas coisas

Segundo a empresária, é possível destacar aquilo que nos faz feliz. “Em vez de dar foco nas coisas ruins, sugiro que você faça uma lista das coisas que te fazem feliz no trabalho e dos pontos fortes da empresa”, ensina. Assim, ao definir que o momento de uma determinada atividade é prazeroso, ou dar-se conta de que determinadas pessoas são companhias agradáveis, a felicidade aumenta e fica mais fácil de ser detectada.


3. Encontrar um propósito

Caso seja muito difícil de encontrar práticas agradáveis no trabalho, Lilian Bertin ensina que é possível encontrar uma razão, ou seja, um propósito pelo qual o trabalho é realizado. “Esse propósito pode ser pessoal, como ganhar dinheiro para comprar uma casa e fazer uma viagem, ou servir a alguma coisa importante da sociedade pelo que você faz, como facilitar a vida das pessoas ou ajuda-las de alguma forma”, explica.


4. Não reclamar - e mudar o que for possível

Reclamar das coisas só vai piorar o sentimento negativo. É nisso que Lilian acredita. Por isso, a coach destaca que é possível transformar as coisas ruins em ações positivas. “Faça uma lista dos pontos fracos do seu trabalho e pense naqueles que estão diretamente ligados a você”, sugere. Depois, ela ensina que se deve escolher as cinco principais ações que podem melhorar um desses pontos. “Mude o que estiver ao seu alcance, e pode ser que você inspire outros colegas a fazerem o mesmo”, conta. Faça suas mudanças por você, independentemente de aprovação ou reconhecimento.


5. Definir formas de evitar atritos

Pensando nos atritos entre pessoas, Lilian conta que é possível que isso aconteça até mesmo quando se gosta do trabalho, já que pode haver problemas de relacionamento onde quer que haja pessoas convivendo. A empresária sugere pegar um papel e repetir a atividade. “Escreva 20 formas de evitar de se estressar com uma pessoa específica ou vários colegas, selecione as 5 principais e comece a aplicar uma mudança de comportamento que seja possível”, ensina. “É incrível como as pessoas mudam quando a gente muda”.


6. Condicionar o cérebro com pequenas atitudes de felicidade

Como mulher, a empresária conta que “Respirar fundo e corretamente, fazer exercícios e se olhar sorrindo no espelho são exemplos de coisas que parecem bobos, mas aos poucos vão condicionando o sentimento de felicidade”, explica, sugerindo que, para cada palavra ruim ou reclamação, sejam ditas outras 10 palavras boas e positivas.


7. Aplicar a regra 5/95

Segundo a profissional, 5% do nosso dia é feito de coisas que nos acontecem, enquanto 95% são os valores e as reações que damos a essas coisas que acontecem. Ao fazer isso, conforme explica Lilian, passamos a lidar com as coisas de forma mais positiva, e passamos a saber a importância que devemos dar às coisas que acontecem.

publicidade:

publicidade:

publicidade: